Entre os pontos levantados na conferência da UnB, estão a descentralização dos meios e maior participação social
João Campos – Da Secretaria de Comunicação da UnB

As propostas de alunos e professores da Universidade de Brasília para um modelo de informação mais democrático no Brasil estão prontas. As sugestões, resultado de dois dias de debate na 1ª Conferência Livre de Comunicação da UnB, vão passar por uma plenária, na manhã deste sábado, 26 de setembro. O encontro vai filtrar as propostas e selecionar as mais relevantes, no ponto de vista da comunidade acadêmica, para a Conferência Distrital, que ocorre em novembro. O objetivo é contribuir para a discussão nacional, que deve gerar um novo marco regulatório para a comunicação no país.

Cerca de 40 propostas foram apresentadas. Boa parte delas dizem respeito às reivindicações pela democratização do acesso à informação no país e por mais transparência no setor. Como, por exemplo, a ampliação do debate sobre os direitos autorais nas produções cultural e de conhecimento, a gestão participativa nas TVs comunitárias, o aumento no número de programas de capacitação via internet, maior debate sobre a renovação dos meios de comunicação, políticas públicas para a criação de softwares livres e o levantamento efetivo de crimes cometidos na internet.

O coordenador-geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Raul Cardoso, enxerga uma linha comum entre as proposições, apesar da diversidade de temas. “Todas dizem respeito a um modelo com maior participação social, com a descentralização do poder e a retirada da produção das mãos de poucos empresários”, comentou. “Há muitas propostas boas, com temas pontuais e profundos. Mas esperamos chegar a um consenso para eleger as cinco prioritárias”, completou Raul.

BALANÇO – Na última mesa do dia, convidados e espectadores discutiram os desafios para que as propostas não fiquem só no papel. Para o professor da Faculdade de Comunicação (FAC) da UnB Fernando Paulino, a permanência da mobilização em torno do tema é fundamental. “A questão não é fácil. Manter movimentos como o que temos aqui e em todo o país e lutar pela realização periódica da Conferência Nacional vai manter aceso o debate”, afirmou.

O evento brasileiro que reunirá representantes do governo federal, empresários e demais comunicadores para elaborar uma nova proposta de regulação para aprovação no Congresso Nacional está previsto para a primeira semana de dezembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

Para os organizadores da Conferência Livre da UnB, o evento foi além das expectativas. “Todos os dias tivemos as cadeiras cheias, com a participação de professores, alunos e servidores. Não esperávamos a participação tão intensa da comunidade. Foi muito bom”, avaliou Raul Cardoso, do DCE, que promete manter a mobilização sobre tema na universidade.

SERVIÇO

1ª Conferência Livre de Comunicação da UnB. Plenária para debater as propostas, sábado, às 9h, na tenda da democratização (fim do ICC Norte).

Todos os textos e fotos podem ser utilizados e reproduzidos desde que a fonte seja citada. Textos: UnB Agência. Fotos: nome do fotógrafo/UnB Agência.

Anúncios